Uau! Último dia do primeiro mês do novo ano… Acho que ainda é permitido desejar um Feliz Ano Novo até porque o ano começa todos os dias não é mesmo? Então lá vai: FELIZ ANO NOVO!

Vamos às promessas! Espero que você ainda esteja firme e forte nas suas senão leia a frase anterior e volte à primeira casa!

Eu fiz uma promessa pessoal – continuar dançando! Ano passado redescobri o prazer da dança depois de um querido professor, coreógrafo, maestro e amigo ter falecido. Aprendi muito com ele, sobre a dança e sobre a vida. Ele foi uma inspiração. Fica em paz meu querido. Obrigada por tudo.

Já estou inscrita em um curso de 2 meses de dança contemporânea começando amanhã e estou super ansiosa pra começar! Desejem-me sorte! Ano passado teve até apresentação em um teatro lindo. Foi fantástico (consegue me achar na foto abaixo?)

Em ação no Palco

Apresentação de inverno da City-Academy. Foto: Ross Gamble

Aqui na página a promessa é um pouco menos ambiciosa, me comprometo a escrever pelo menos um post por mes! Essa é a meta a que me permito nesse momento pois nesse ano Artes (eu) e Tecnologia (ele) oficializam a relação e vão comemorar então estarei no processo de organização desses eventos. Para quem já acompanha o Instagram e Facebook da Bússola (obrigada!) e tem visto a movimentação, fotos, posts, dicas de livros, obras de arte, arte na rua etc… isso tudo continua! Vou continuar compartilhando inspirações do mundo real e do mundo virtual. Uma vez por mês porém venho aqui escrever um post bacana. Aceito sugestões de temas!

Nesse primeiro post, acredito que cabe uma explicação sobre o porquê de continuar depois de algum tempo sem escrever (desculpem!)? Por que essa meta artística? Por que a Bússola? Na página do SOBRE NÓS (convidados e amantes das artes são sempre bem-vindos a colaborar) eu falo um pouco mais. Mas numa noite de domingo há 2 semanas atrás ficou claro pra mim o PORQUÊ. Explicando:

Estava gripada, de jet-lag, com aquele mau humor de fim-de-férias, cansada, estava frio, chuvoso e escuro… mesmo assim, coberta dos pés a cabeça, me arrastei de casa pois não queria deixar de prestigiar o Lumiere London, mesmo que fosse só um pedacinho dele, no último dia do evento, aos 45 do segundo tempo… e adivinhem? Mudou meu dia, mudou meu astral, melhorou meu final/começo de semana, me inspirou, alegrou e energizou! Não vou dizer que curou a minha gripe mas enquanto estava no meio da rua, LOTADA de gente de todas as idades, num final de domingo em pleno inverno… nem me lembrei dela! Da gripe! Do cansaço, de nada… poderia ter ficado ali por horas admirando as instalações, estava lindo, iluminado e colorido. Cheio de gente feliz!

 

FullSizeRender-1

Lumiére London 2016

O que foi o Lumiere London? Um festival de luzes! Nada mais apropriado para uma noite de inverno! Um festival gratuito que aconteceu em diferentes áreas da cidade simultaneamente e teve tanto sucesso que houve momentos de terem que desligar as instalações para controlar a multidão. Sucesso total!

O festival começou em 2009 em Durham – no Nordeste da Inglaterra – onde acontece a cada dois anos desde então. Em 2013 o evento foi também realizado em Derry na Irlanda do Norte como parte das comemorações da cidade que naquele ano foi eleita a capital da cultura do Reino Unido.

FullSizeRender-3

Lumiére London 2016

Foi absolutamente lindo e acabei de responder a pesquisa do site – que entre outras coisas pediu para definir o festival em 3 palavras, tarefa bem difícil mas vou tentar com: Surpreendente, energizante e espetacular.

IMG_6287-1

Lumiére London 2016

Sim, eu sei muito bem que a vida não é feita exclusivamente de arte e beleza, mas porque não permitir que em alguns momentos as artes nos transportem para esse lugar de encantamento? Mesmo que seja por duas horas das 48 do final de semana? 1 dia dos 30 do mês? 1 semana das 52 de cada ano?

Sim, eu sei que artes são um grande e lucrativo negócio, um mercado de altas cifras, uma distração dos problemas reais usadas por poderosos desde a época do Império Romano até hoje em todos os continentes para entreter as massas e desviar a atenção de problemas reais… sim, eu sei de tudo isso e voce também. Em época pre-carnaval isso é ainda mais notório. Não irei negar mas também não vou focar nisso pois não é o tema dessa página.

Sabemos de tudo que foi citado acima, você e eu, mas sabemos também que a vida sem artes, sem pinturas, literatura, esculturas, sem música, sem dança, sem comédia ou tragédia ou poesia, sem o que é belo, o que as vezes choca e faz pensar faz menos sentido ainda. No meio de tantos assuntos sérios que merecem e devem ser tratados como prioridade por todos nós, se torna ainda mais necessário nos permitirmos momentos para criar e contemplar. Para mim, naquela noite fria, escura e entediante o festival de luzes foi como um remédio daqueles bem fortes que dão uma dose cavalar de energia para seguir adiante e encarar o que vem em frente com mais animação e positividade. Realmente mágico! Verdadeiramente transformador.

C38D5492-F900-4531-9D23-00A7D016D2F4

“Eu tenho a natureza e as artes e a poesia, e se isso nao é suficiente, o que é suficiente?” Vincent Van Gogh