Além de pintor, Kandinsky foi um grande Teórico das Artes, sua influência na história da Arte Ocidental vêm tanto (ou mais) de seus trabalhos teóricos quanto de suas pinturas. Ele promoveu a idéia de que todas as formas de artes eram igualmente capazes de alcançar um alto nível de espiritualidade e que cores podem ser usadas em pintura como algo autônomo, separado da descrição visual de um objeto ou outra forma.

The Rider

“O cavaleiro” (The Rider), Vassily Kandinsky, 1911

Esses pensamentos o viram fundar e tornar-se presidente da Associação de Novos Artistas de Munique quando ainda estava na Alemanha, porém também contribuíram para o final do grupo em 1911 devido ao seu radicalismo ao defender essas idéias. Seus pensamentos desta época, tiveram grande impacto internacional e catapultaram sua fama nos países de língua inglesa.

Em 1914 ele muda-se para Suíça e no mesmo ano volta para Rússia, sua terra Natal. Entre 1914 e 1921, Kandinsky passou a maior parte do tempo em Moscou onde trabalhou na  Academia de Moscou e foi membro do Secretariado de Cultura popular. Neste período na Russia ele não produzira muitas pinturas e envolvera-se primordialmente com o ensino, a reforma das artes e a educação.

100

“Cavaleiro de São Jorge” (Rider St. George), Vassily Kandinsky, 1915/1916

 

wassily kandinsky in grey im grau

“Em Cinza” (In Grey), Vassily Kandinsky, 1919

Durante esta segunda fase na Rússia muitos de seus trabalhos foram primordialmente esquetes, estudos e as poucas pinturas que fez são influenciadas pelo período sombrio que incluiu a I Guerra Mundial e a Revolução Bolchevique na Rússia.

Em 1921, Kandinsky retorna à Alemanha convidado a lecionar na Weimar Bauhaus instituição criada com o intuito de juntar diversos tipos de artes incluindo Belas Artes, trabalhos manuais e arquitetura.

Em sua temporada na Bauhaus, Kandinsky voltou seus estudos especialmente as formas geométricas como círculos, semi-circulos, linhas retas, ângulos, quadrados, triângulos, etc.

White-Dot“O ponto branco” (The White Dot), Vassily Kandinsky, 1923

A mudança em Kandinsky após o difícil período de guerras estaria visível tanto no seu discurso quanto em suas obras. Tanto na teoria quanto na prática, ele que antes se expressava através de uma concepção romântica e intuitiva, passa a dar ênfase a composições construídas organizadamente.

O governo nazista em 1933 fechou a Bauhaus e 57 de suas obras foram confiscadas em 1937 pois foram consideradas “obras degeneradas”.

Em 1933 Kandinsky faz a última mudança de sua vida, dessa vez para a França, para uma cidade chamada Neuilly-sur-Seine, perto de Paris onde morrera em 1944 , 3 dias antes de completar 78 anos de idade. Neste momento de sua vida, Kandinsky trabalhou em maior isolamento e a última transformação de sua arte aconteceu. Ele não utilizava mais de combinações entre cores primarias mas trabalhou com nuances de cores suaves, sutis e refinadas.

Até o final de seus dias, Kandinsky não duvidou de seu “mundo interior”, um mundo de imagens onde as abstrações não tem fim em si mesmas e a linguagem das formas não “nasce morta” mas cresce em vigor e vitalidade.

Composition XComposição 10 (Composition X), Vassily Kandinsky, 1939

Dentre tantas de suas criações, Kandinsky deixou frases inspiradoras, fecho esse artigo com uma que gosto muito.

Quote-Kandinsky